estacionamento

Fazendo uma comparação, o ajuste fiscal proposto pelo governo federal – e as mudanças que ele acarreta – é como estacionar um carro em uma vaga pequena. O risco de um amassado, arranhão ou batida no seu veículo (ou no do vizinho) é maior à medida que o espaço diminui.

Deve ser assim que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, se sente, ao afirmar que o espaço para concessões dentro do ajuste fiscal é pouco e pode ser ainda menor com o correr do tempo.

O ministro se reuniu com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, para discutir alternativas à mudança nas alíquotas na folha de pagamento de 56 setores da economia (de 1% do faturamento, passariam a pagar 2,5%; e as que pagam 2%, iriam para 4,5%).

A conversa serviu para os representantes do Executivo e Legislativo tomarem pé da situação e ver alguma luz no fim do túnel. Ainda está difícil estacionar o carro nesse espacinho.

Veja o texto completo no link abaixo:

Folha de S.Paulo: Levy diz que espaço para atenuar tributos é pouco e pode ficar menor

Leave a Comment