carga_tributaria

Muito se fala que a carga tributária brasileira é uma das mais altas do mundo, e que uma solução para aumentar o dinamismo da economia é justamente diminuí-la.

Por outro lado, quando se esmiúça a relação arrecadação – destinação do dinheiro público, a coisa começa a mudar de figura. Apenas tomando alguns exemplos: a Justiça pública brasileira, embora lenta, tem um aparato enorme que precisa ser gerenciado; sem falar no SUS, universal, e que atende a todos em todo o país (sua qualidade é sofrível por ser mal administrado); quase 90% das crianças estão em escola pública, e por aí vai.

O problema com o sistema tributário nacional não é necessariamente a carga tributária, mas sim como os recursos são arrecadados. Os impostos sobre o consumo são muito altos, e isso penaliza proporcionalmente aqueles mais pobres, já que a alíquota desses tributos independe da condição financeira. Em vista disso, reduzir a carga tributária, sem modificar seu sistema, não adiantaria em nada.

Veja o texto completo no link abaixo:

Afisvec Rio Grande do Sul: Maria Regina Duarte: carga reduzida, problemas maiores

Leave a Comment