cigarro

A carga tributária do cigarro chega a 75%. Ou seja: do valor que se paga em um maço, 75% dele são impostos, majoritariamente o IPI e o ICMS.

Isso se falarmos do cigarro brasileiro, já que o cigarro que vem do Paraguai, fruto de contrabando, não tem imposto nenhum – e entra a um valor bastante inferior ao produto nacional. Não à toa, vem se notando um aumento no seu consumo e, por consequência, uma redução na compra dos made in Brazil.

Essa diminuição já se reflete, inclusive, na produção de fumo. Estima-se uma redução de 24% na colheita de dois tipos da planta, a Virginia e a Burley.

Veja mais detalhes no link abaixo:

Afisvec Rio Grande do Sul: Tabaco é o setor mais exposto à carga tributária no País

Leave a Comment