ambiente_sombrio

A intenção de fazer o ajuste fiscal e economia nas contas públicas de 1,13% do PIB para sanar parte da dívida pública deu com os burros n’água, fez o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, voltar para uma meta bem mais atingível, de 0,15%, e só ajudou a jogar o problema para frente.

Em palavras: com essa redução do ajuste, ficará mais difícil pagar as contas deste ano, o que leva o buraco para o ano seguinte, quando se pretende fazer uma economia ainda maior, de 2%, para 2018.

É o famoso “empurrar com a barriga”.

Veja mais detalhes no link abaixo:

Valor Econômico: Aumento de carga tributária no horizonte

Leave a Comment